quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Party Rock

Era para ser uma festa legal na qual eu iria travar novas relações, mas onde eu estava eu só escutava as pessoas falarem: blábláblá, blá bláblá blá. Não era desprezo eu juro, era apenas um certo cansaço daquele assunto. O chão de terra era vermelho, não dava para ver, porque estava muito escuro, mas dava para saber, sei lá como. Devia ser o cheiro de terra vermelha. Eu vasculhava as raízes salientes abaixo dos meus pés com os olhos, depois vi o caule grande, depois os galhos grossos e retorcidos e depois eu vi ele. Não que ele estivesse em cima da arvore (risos), ele apenas passou entre as pessoas, é que a sua presença me chama muito a atenção, sempre chamou. Os óculos dele gritam: estou aqui! Não há como não desviar a atenção. Se ele é bonito? Devia ter sido antes, hoje não mais. Isso não tem importância.
Eu já o tinha visto antes, quase no mesmo lugar e havia fingido que não tinha visto (por favor, não me julgue. Acredite, era melhor assim) mas agora era diferente. Diferente, porque nos olhos dele eu vi tristeza. Tristeza e desgosto. Seus pés e suas pernas marchavam decididos a uma direção, contudo seus braços estavam largados balançando, seus ombros caídos em uma postura triste, a cabeça um pouco baixa, seus olhos fixavam o chão. Tudo nele deveria indicar descaso ou indiferença, porém a velocidade com que andava lhe entregava. Quem o olhasse de forma mais atenta pensaria que ele estava sendo perseguido, ou pelo menos ele pensava que estava, ou estava de fato. Mas é claro que estava! Eu acabara de persegui-lo com os olhos. E naquele momento eu entendi o que acontecia e me senti triste. Foi como se ele tivesse dividido toda aquela tristeza comigo, e sabe que eu não teria me importado se tivesse a certeza de que a divisão lhe aliviaria um pouco as costas. Eu queria ter ido lá para dizer: "Não fique assim." Nervoso com certeza ele estava e ficaria pior se eu fosse lá falar-lhe. Penalizei-me. Mas francamente, o que eu poderia ter feito?







sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Citação.

Era um ataque epilético, o primeiro que tinha depois de uma longa pausa. É bem conhecido que o ataque epilético sobrevem inesperadamente. Nesse momento o rosto se deforma horrivelmente, de modo particular os olhos. Não só o corpo inteiro como os traços do rosto trabalham com sacudidelas convulsivas e contorções. Um terrível e indescritível grito, que não se assemelha a coisa alguma, é emitido pela vítima. Nesse grito tudo quanto é humano fica obliterado; e é impossível, ou dificílimo, ao observador imaginar e admitir que seja um homem que o desfere. É como se um outro ser estivesse gritando dentro do homem. Pelo menos é assim que muita gente tem descrito a impressão que isso dá.

Trecho do livro O Idiota de Dostoiévski.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Escrever sobre escrever.

Escrevo para me sentir melhor. Escrevo por desencargo de consciência, só para no final poder dizer: " eu bem que avisei."
Escrevo apenas  por ser possível, porque tenho dedos, ideias e palavras. Escrevo porque em momento algum escrever foi uma escolha.
Escrevo porque respiro e o sol existe. Escrevo porque existo. Penso, logo escrevo.
Escrever é como pintar ou desenhar. Escrever é uma arte e o escritor é um artista. O poeta domina a técnica de pintar com palavras.
Escrever faz parte do meu corpo, da minha alma, das minhas vidas. Me torna completa. Alguém cheio e pleno de escrita em si seria um escritoso? Porque se assim for, sou escritosa, muito prazer.


terça-feira, 6 de setembro de 2011

MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO

"SE VC FALOU QUE VAI, ENTÃO CUMPRA E VÁ, PQ SUA PRESENÇA É IMPORTANTISSIMA!


ATENÇÃO: TERÇA-FEIRA DIA 6, O DIA DE DIVULGAR EM MASSA, VAMOS TODOS CONFIRMAR QUEM DISSE QUE SIM E CONVENCER QUEM DISSE QUE NÃO! VMS LOTAR O FACEBOOK, ORKUT, ETC.. COM DIVULGAÇÃO SEM PARAR, CONTO COM VC! QUALQUER DUVIDA PODERÁ ADICIONAR OS ORGANIZADORES PARA ESCRARECIMENTOS!

ACESSE O GRUPO POR ESSE LINK E VERIFIQUE O PERCURSO DA MARCHA CONTRA A CORRUÇÃO: https://www.facebook.com/groups/230494333662862/

- A manifestação é um protesto PACIFICO
- A manifestação é um protesto APARTIDARIO
- A manifestação NAO VAI ATRAPALHAR O DESFILE DO 7 DE SETEMBRO

SE VC É DE ALGUM PARTIDO A, B OU C, PODE COMPARECER, DESDE QUE QUARDE SUA BANDEIRA PARTIDARIA, É UM MOVIMENTO DO POVO PARA O POVO!


Muitas pessoas estão oferecendo ajuda e ajudando muito!!!! Só gente boa!! Muito Obrigada Galera. Só para lembrar que a marcha continua APARTIDÁRIA e SEM AJUDA DE PARTIDOS OU POLÍTICOS! Estamos no esquema da "vaquinha" e contando com a boa vontade desse povo que tem sede de mudanças!!!


GENTE!!! ESSA MARCHA É DO POVO. NÃO TEMOS PATROCINIO NEM APOIO DE NENHUM POLÍTICO, SINDICATO OU EMPRESÁRIO, POR ISSO PRECISAMOS MUITO DE AJUDA PARA FAZER E ACONTECER!!! PRECISAMOS DE FAIXAS,TNT, SPRAY PARA CONFECÇÃO DAS FAIXAS, APITOS, BALÕES, PANELAS, TINTA PARA PINTAR O ROSTO DOS AMIGOS, PANFLETOS, CARTAZES, TUDO!!! QUEM TIVER MEIOS DE AUMENTAR A DIVULGAÇÃO DO EVENTO COMO RÁDIO, TV, JORNAIS SERIA ÓTIMO TAMBÉM! QUEM PUDER AJUDAR ENTRE EM CONTATO POR E-MAIL: LUCIKALIL@HOTMAIL.COM, DANI-KALIL@HOTMAIL.COM E WALTER-DF@HOTMAIL.COM!!! AGRADECEMOS DEMAIS AS AJUDAS FUNDAMENTAIS QUE RECEBEMOS: CTIAGO, RAYSSA, LEONARDO, WALTER ARAUJO, WILLIAN DE OLIVEIRA, CHICO E GIPERCLAY. NÃO SERIA POSSIVEL CHEGAR AONDE CHEGAMOS SEM VOCÊS!!! VAMOS A LUTA!!!! **** "

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:— mais nada.
 
Cecília Meireles


Convenhamos: a vida é um sopro.