sexta-feira, 9 de julho de 2010

Você disse que ainda passava por aqui...

Esses dias eu tenho tentado não te esquecer e tenho chorado por saber que assim vai ser independente dos meus esforços.
Desde o dia em que me condenei a viver sem você não tive uma noite de sono tranquilo, andei colecionando pesadelos.
Não apaguei as nossas fotos da internet por medo de que se assim fizesse, apagaria você da minha vida também. Sua foto 3x4 ainda está na minha carteira, os livros que me deu estão em fileira na minha estante, tudo intocado, nada mudou, mas mesmo assim tudo parece diferente. Ando para lá e para cá no corredor, escuto você chamar meu nome na rua, corro ao seu encontro mas não há ninguém lá fora. Ninguém me chama, ninguém me espera. Os dias não passam, se arrastam. A vida não vem, a morte não vem, o torpor não vem, você não vem, só a dor é implacável, jamais esquece desta já tão maltratada sofredora. Fico me perguntando se ter seguido o que eu acreditava e não ter traído os meus valores foi a escolha certa a se tomar uma vez que isso tudo tenha significado te deixar. Fiz o que acreditava que era certo mas isso não me fez feliz. O meu egoísmo não me fez feliz, isso sim.
Não quero me arrepender, não quero voltar atrás mas tudo o que faço me contradiz. Tantas vezes desejei que você me ligasse, que me convencesse que tudo aquilo foi um terrível engano, que falasse que ainda me ama, talvez eu sugerisse um encontro e ficaria tudo bem, eu tentaria ao menos.
Espero não enlouquecer antes que isso aconteça ou antes de esquecer você ou como o destino bem quiser.

5 comentários:

  1. "Ninguém me chama, ninguém me espera. Os dias não passam, se arrastam. A vida não vem, a morte não vem, o torpor não vem, você não vem." disse tudo ><

    as vezes é tão dificil abrir mão do orgulho, né Nanda ?
    gostei do texto :) e fica bem, ram <3

    ResponderExcluir
  2. Você me pediu pra ler esse texto, mas pra ser sincero não era eu que deveria ter lido.

    Queria poder acalmar o eu lírico. Em casos assim, não a culpados. Ninguém tem culpa por ser o que é ou sentir o que sente.

    Orgulho é uma merda mesmo, e eu sei muito bem disso. Já perdi muito por causa dele quando eu não tinha nada a perder. Mas do que adianta 1 ser abrir mão de seu orgulho se uma relação depende de 2?

    E por fim, queria tranquilizar o eu lírico dizendo que seus dias ainda voltaram a ter 24 horas. Por mais que doa muito na hora, toda a ferida vira uma cicatriz. Sim, isso é óbvio, mas na hora da dor eu sei que é impossível de saber disso.

    Ótimo texto Nanda, só pra não perder o costume! ;)

    ResponderExcluir
  3. meeuDeeus, quee lindo, quase choreei ;'D

    ResponderExcluir
  4. Nanda, porque quase toda vez que eu leio um texto seu, eu me lembro de coisas que foram boas no passado, que não existem mais e choro??
    Mas, é bom pra refletir um pouco (y

    ResponderExcluir

Já estou ansiosa para ler seu comentário, mesmo antes de você ter terminado! :D